A Comissão Vitivinícola do Algarve apresentou recentemente a nova imagem e estratégia para os Vinhos do Algarve, num almoço de homenagem à região, preparado pelos chefes Noélia Jerónimo, Rui Silvestre e Bertílio Gomes — todos com ligação ao Algarve.

Pode ser pouco comum associar a região algarvia ao tema dos vinhos mas o certo é que a procura pelas suas referências tem crescido significativamente e é a Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA) quem o confirma, com uma evolução “bastante positiva” ao nível do número de produtores, área de vinha, produção e qualidade dos vinhos.

Tal como explica Sara Silva, presidente da CVA, no Algarve existem quatro Denominações de Origem (Lagoa, Lagos, Portimão e Tavira) apesar de se produzirem vinhos noutras cidades, como Faro, Silves ou Albufeira. Em termos de castas, além das tradicionais, como as tintas Castelão e Negra Mole — a “casta autóctone” da região — e as brancas Arinto e Síria, são trabalhadas ainda muitas outras, tais como as variedades Touriga Nacional e as internacionais Chardonnay ou Syrah.

Neste momento, a CVR trabalha diretamente com 45 produtores que no ano passado, comercializaram aproximadamente 1.300.000 garrafas. Cerca de 10% desse número representam vendas internacionais feitas aos mercados europeus e norte-americano.

Com a finalidade de reforçar essa imagem da região como destino vínico e produtor de referências de qualidade, parte da estratégia anunciada da entidade responsável passa por uma “maior aposta” no mercado nacional e regional. “A restauração e hotelaria do Algarve são parceiros incontornáveis dos vinhos da região, que podem oferecer mais autenticidade com uma experiência gastronómica enriquecedora e única, aliando os excelentes vinhos da região à excelente gastronomia algarvia”, acrescenta Sara Silva.

A nova imagem dos Vinhos do Algarve vem no sentido de “dar união à diversidade do Algarve”, explica Patrícia Conde, da Nuts, a agência de publicidade responsável pelo novo logótipo que pretende retratar aqueles que são “os principais ícones” da região: sol, gastronomia, férias, património, tradições e praia.

Num recente almoço realizado no Espaço Espelho de Água, em Lisboa, foram apresentadas algumas referências algarvias que harmonizaram as sugestões dos chefes Noélia Jerónimo (chefe e proprietária do restaurante Noélia, em Cabanas de Tavira), Rui Silvestre (chefe do Michelin Vistas, em Vila Nova de Cacela) e Bertílio Gomes (chefe da Taberna Albricoque, um restaurante de comida algarvia em Lisboa). Gaspacho com muxama, Canja de lingueirão e Xerém de conquilhas foram alguns dos pratos acompanhados pelos vinhos Morgado do Quintão (Palhete rosado, 2018), Marcha Légua (Malvasia Fina 2016) e Quinta do Francês (Branco 2018), respetivamente.

Mais informações aqui.