Início|Opinião

Nuno Diniz: Gosto de cá estar!

Mas o mundo tem pessoas. E as pessoas têm obsessões. Crenças. Preconceitos. Lados díspares. Espelhos que confundem compaixão com vingança. Os que têm tudo, detestam os que não têm nada. Por medo, incómodo, nojo. Os que nada têm, abominam os que tudo têm.

Por |18:19, 06/07/2017|

Filipa Gonçalves: Diamante negro

O chocolate tem as suas histórias de amor, mas, infelizmente, ainda faz correr muito sangue, como se de um diamante se tratasse. O mundo da produção de chocolate é ainda muito sujo e a informação que nos chega nem é muito clara, nem abundante.

Por |11:18, 17/06/2017|

Armando Fernandes: Poder e comida

Na Antiguidade o maior banquete de exaltação do poder terá sido o oferecido por Assurbanipal II, 690-627, rei da Assíria, quando inaugurou o Palácio de Todas as Habilidades.

Por |11:40, 22/05/2017|

Nuno Diniz: Ter tempo

Quando eu era pequeno, o tempo durava mais tempo. Era excessivo, cansativo, permanente. Eram as férias que nunca mais acabavam, as aulas que nunca mais começavam, as mesmas aulas que nunca mais terminavam.

Por |11:15, 10/05/2017|

Armando Fernandes: Comida e Sexo

Em 1939, o escritor, bibliófilo e gourmet dotado de imenso saber e experimentado no tocante a sápidos sabores deu à luz a inusitado ensaio relativo às artes culinárias e a iguarias sólidas e líquidas intitulado VOLÚPIA: a Nona Arte: a Gastronomia.

Por |11:32, 08/05/2017|

Tiago Santos: Gastronomia Darwinista!

Bacalhau salgado, cação de coentrada, cusco transmontano, vinho do Porto, queijo da serra, fogaça de Alcochete, Moscatel de Setúbal, doces de ovos, butelo, faceira fumada, favas secas, cenoura algarvia...

Por |10:22, 03/03/2017|

Paulo Amado: Sobral e o Sobralismo

Tenho ideia que esta meia dúzia de anos que nos separa, era maior há uns 20 anos quando o conheci. Teria Vítor Sobral 10 anos de cozinha e era evidente como personificava o despontar de uma nova geração de cozinheiros à procura de quebrar barreiras.

Por |10:00, 21/01/2017|

Partilhar com um amigo