Nos próximos dias 21 e 22 de fevereiro, a 8ª edição do evento ‘simplesmente… Vinho’ vai juntar no Cais Novo, no Porto, 101 produtores de vinhos nacionais e internacionais. Arte, música e petiscos também estão incluídos na programação.

+ info
simplesmente… Vinho

Morada: Cais Novo. Rua de Monchique, 120. Porto.
Datas/Horário: 21 e 22 de fevereiro das 16h às 21h30.
Preço: 20€ com direito a copo de prova. Para quem quiser petiscar ou beber vinho a copo no bar à responsabilidade d’Os Goliardos, há senhas de 3€ e 5€ a serem vendidas no local.

A ideia de organizar o primeiro salão off do Porto — mostra de produtores de vinho alternativa dedicada a referências mais exclusivas, unidas por um tema (como a região, o modo de trabalhar ou o tipo de vinho) — surgiu numa viagem a França, em 2013, enquanto João Roseira, idealizador do ‘simplesmente… Vinho’ e o produtor de vinhos Mateus Nicolau de Almeida estavam a participar no reconhecido Haut Les Vins. “Pensámos que teria piada fazer o mesmo em Portugal. O Mateus sugeriu logo um espaço, a cave da Skrei, um atelier de arquitetura orgânica, na Ribeira. Acabei por visitá-la e foi o clique”, começa por explicar João. Duas semanas depois, com a colaboração de 16 produtores ou vignerons [produtor artesanal, muitas vezes biológico ou biodinâmico, que faz de tudo: na vinha, na adega, no marketing e comercialização, dando a cara pelos seus vinhos], organizaram uma bem-sucedida primeira edição daquilo que seria o ‘simplesmente… Vinho”, ao qual se seguiram mais seis.

A lógica é sempre a mesma, todos os anos são convidados vários produtores (este ano são 101) que fazem da barrica a sua montra de produto. E, tal como um verdadeiro vigneron, dão a cara pelos seus vinhos, num clima descontraído e de celebração. O que difere de ano para ano é, além dos produtores presentes, o país convidado que este ano é os Estados Unidos. Ao longo dos dois dias, além dos visitantes terem a oportunidade de provar vinhos desse país — com a presença de Joe Swick, um produtor de vinhos oriundo de Portland, Oregon e que usa uvas nacionais em alguns dos seus vinhos — vai ser possível conhecer também uma seleção de rótulos provenientes de Portugal, Espanha e França.

Desde o seu início que este é também evento que abraça outras causas e artes como a música, com concertos dos Thee Magnets (dia 21) e dos The VineRoots Jam Session (dia 22); a pintura e a escultura com exposições por parte cinco de artistas com a curadoria de Nuno Pinto Leite da galeria Ela Vai Nua; e, claro está, a gastronomia. Ao longo do evento, a acompanhar a bebida na zona de restauração vão estar propostas dos restaurantes Delicatum (Braga), Carvão (Vila Nova de Gaia) e Oficina dos Rissóis (Porto). Ligado ao ‘simplesmente…Vinho’ vai ainda acontecer um jantar a quatro mãos, com Leopoldo Garcia Calhau (Taberna do Calhau, Lisboa) e Luís Américo, na Typographia Progresso, dia 21, às 22h. O menu será acompanhado por 12 vinhos. O custo por pessoa é de 65€.

“Apreciar vinhos e petiscos vai muito para além dos sabores, aromas, texturas. Há muita emoção. No ‘simplesmente… Vinho’ pretendemos dinamizar as emoções. Um bom quadro, uma boa fotografia ou escultura, enfim, uma peça de arte e uma boa canção podem sublimar um vinho”, afirma João Roseira.

Durante a iniciativa, decorre ainda a apresentação do livro ‘The Dirty Guide to Wine: Following Flavor from Ground to Glass’ com a presença da co-autora, Pascaline Lepeltier, a única mulher MOF (Meilleur Ouvrier de France) na categoria sommelier.