Os tempos que se estão a viver em Portugal (e no mundo) são preocupantes e afecta a vida de qualquer cozinheiro e empresário da restauração. Face à pandemia de Covid-19, o chefe Vítor Sobral, fundador do grupo Quina – que possui oito espaços de restauração em território nacional – está focado em encontrar soluções para combater o vírus que, em menos de duas semanas, está a isolar o país em casa. São um total de 120 trabalhadores que têm as suas vidas dependentes das oito Esquinas do chefe e que, agora, sentem os seus meios de sustento ameaçados.

“O Grupo Quina preocupa-se com o sustento das suas equipas, e espera que a diminuição de clientes que frequentam os restaurantes não impeça a empresa de garantir o pagamento de salários. A mesma preocupação abrange os fornecedores do grupo, assim como o cumprimento de todos os compromissos bancários e fiscais”, refere, em comunicado, o grupo Quina. Para que tal não aconteça, Vítor Sobral tem encontrado soluções alternativas: reforçar o serviço takeaway. “Comprometidos com os nossos clientes e colaboradores, o grupo Quina procurou alternativas para minorar o isolamento dos seus clientes – e decidiu reforçar o serviço de takeaway em vários dos seus espaços”, explica, acrescentando que as condições de segurança estão no centro das suas preocupações, tendo essas plataformas de takeway sido contactadas no sentido de se perceber qual o material necessário a implementar – luvas e soluções à base de álcool. Do mesmo modo, as embalagens foram cuidadosamente escolhidas, com selo de segurança, para garantir a protecção e integridade dos pratos pedidos pelos clientes.

Por outro lado, a partir de hoje, vários restaurantes do grupo Quina deixam de ter serviço de sala, mas mantêm o serviço de balcão, respeitando as devidas distâncias de segurança. As encomendas são entregues à porta da Tasca da Esquina e da Peixaria da Esquina. Nas Padarias da Esquina, mantêm-se as vendas ao balcão – sendo que se farão entregas para encomendas com valores a partir dos 5€.

Numa última nota, Vítor Sobral – como tantos outros chefes de cozinha – apela que o Governo apoie o sector. “Quero ajudar a criar soluções, e não contribuir para os problemas. Não quero causar problemas ao Estado nem às famílias que emprego. Quero apenas ferramentas para voltar a fomentar a economia e não deixar cair as minhas equipas.”

Contactos para encomendas:

Tasca da Esquina: 919 837 255 ou info@tascadaesquina.com
Peixaria da Esquina: 912 946 155 ou geral@peixariadaesquina.com
Padaria da Esquina:
Restelo: 910 019 616 ou geral@padariadaesquina.com
Campo de Ourique: 910 019 616 ou geral@padariadaesquina.com
Alvalade (entregas ao balcão): 211 338 666 ou geral@padariadaesquina.com