Sempre me fascinaram os Umbigos de Vénus que surgem em esperanças de muros. Chamo-lhes esperanças porque, em muros velhos, sem utilidade para o mundo, encontram poiso estas plantinhas de pétalas carnudas. Gosto de as olhar pelo contraste da pedra e do verde. Quase sigo o carreiro que desenham nos muros e penso no carreiro dos meus dias. Nem sempre o salto é de folha em folha. Não, não sempre é. E esta última semana, eu, como muitos, acredito piamente, vivermos dias difíceis. O problema foi decidir, tomar decisões, tornar líquido aquilo que não é. Materializar o pensamento necessário, a razão. Lembrar os dramas pessoais para além das estatísticas, ter que pensar naquele caso que sabemos necessitar de todo o apoio. Ter de lembrar o que deve ser a sustentabilidade do negócio. Ouvir como martelos nos ouvidos a ordem de que temos que reinventar, recriar, reinterpretar, reajustar. Tantos re…’s, demasiados para aquilo que conseguimos processar. É difícil ser criativo num tempo que não conhecemos. Mas o que custou foi mesmo decidir, comunicar quem iria ficar em casa, perceber o olhar “porquê eu e não a outra?”. Sonhar com os dramas dos outros mais do que os meus. E sim, olhar em frente. Confiar sempre. Na minha vontade e na dos outros. Saber que nunca estarei sozinha. Acredito sim. Acredito mesmo que em breve vamos respirar de novo e vamos sair desta vida que está a ser vivida em síncope. Vamos conseguir pensar no futuro sem reserva, sem medo do que vamos ter. Na verdade, a vida não para. Já conheci tanta gente que este ato de #resistir me pôs à frente. Já descobri tantas vontades, tanta força, tanta rapidez na resposta, tanta cumplicidade. Sinto-me parte de uma comunidade virtual que é tão real que já mudou o destino de tantos apesar dos constrangimentos. Nem sabia que havia tanta gente valente. Por isso, longe estou da tristeza, estou feliz.

Olho os Umbigos de Vénus no seu carreiro e penso no carreiro dos meus dias. Detenho-me na perfeição de cada folha. E percebo, cada dia desta rotina a que não estava habituada é mesmo uma oportunidade para uma vida diferente num mundo diferente que acredito que será melhor.