Reinventar. A gastronomia dá-nos uma lição fantástica. Que nos temos que reinventar como ela. A base, essa, estará lá sempre. O tempo, os bons ingredientes, as técnicas. Mas somos todos filhos de um tempo e a nós calhou-nos este. Os mitos das receitas dos tempos das guerras. As lendas de padeiras e pães que se formam por serem de uma época em que era feito assim. Os doces, ditos de conventos, que passaram para além do tempo. De todos os tempos e de todas as épocas de prosperidade ou de tragédia. Afinal, é naquilo que cozinhamos que podemos encontrar respostas. Sento-me e pego em vários livros que já li e em mil pensamentos. O tempo será outro. Mas a cozinha tem a capacidade de se cimentar em algo único. A transversalidade dos momentos. De reunião, de encontro, de celebração. Mas, acima de tudo, de alimentação. Temos todos de nos reinventar. A lição é simples. Desistir nunca foi opção. Porque sabemos que há receitas que atravessaram gerações guardadas na memória colectiva. Outras registadas em pequenos cadernos de letra trabalhada. Mas há uma continuidade que vem do devir da história que me alenta. Um negócio é e sempre foi a negação do ócio. A imobilidade tolda o pensamento. É por isso que precisamos de nos reinventar. A cozinha que teremos no futuro não será mais esta que agora temos. Estaremos ávidos de encontros. De reencontros. Percebemos a noção do agora. Que o agora é o que se faz ou se deixa de fazer. Percebemos que o importante é estar. A cozinha e a mesa celebram isso. Nunca mais, todos nós que estamos neste agora, neste instante, vamos esquecer esse prazer do encontro. A cozinha, os restaurantes, os lugares em que se celebra a comida como lugar de alegria, vão renascer com a força deste tempo. E o desejo de futuro. A história tem o poder de ser uma reserva da memória. Sabemos que seremos um pouco diferentes. Que teremos ainda que atravessar muito deserto até chegarmos a um lugar de estabilidade, novamente. Mas sabemos que só há uma solução. Reinventar o agora. E o amanhã, ainda mais. Assim, poderemos sobreviver. Só assim…