Se tudo correr bem, um dia contaremos histórias destes tempos. E dos sabores destes tempos. Do que se cozinhava em casa. Dos aproveitamentos para fazer render algumas coisas. A cozinha, que tanto falava em sustentabilidade, teve agora uma lição única, que do pouco se tinha que fazer muito. Quem não parou, aprendeu a conservar. Quem parou e passou a cozinhar em casa, percebeu a dimensão única da refeição em partilha. Todos aprendemos com a facto de termos mais tempo. Que a urgência é um estado de espírito. Que, afinal, nisto somos somos iguais. Sem estrelas, prémios ou marketing ou com tudo isso, somos mesmo todos iguais. Bastam aqueles que nos visitam pararem de nos vir visitar e morremos. Por dentro e de dentro para fora. E que tudo, tudo o que fazemos, pode afinal demorar mais um pouco para ficar bom. Temos tempo. Afinal, aquele que dizíamos a nós mesmos que não existia. Depois, depois de tudo isto passar, quando regressarmos à cozinha, será como andar de bicicleta. Não se esquece. Está lá. Nas mãos, nos ritmos, na forma. No sabor. Mas haverá sempre algo novo a tocar na nossa cabeça: só mais um bocadinho e fica perfeito. Mais um bocadinho de tempo. Mais um bocadinho de dedicação. Mais um bocadinho de tempero, mais um bocadinho de histórias e memórias para partilhar. Afinal, no final, é mesmo isso que ficará. Sabemos isso agora mais do que nunca. Este tempo urgente fez-nos perceber isso. A nós que na cozinha às vezes tendemos a querer ultrapassar tudo pela maquinaria ou a controlar tudo pela precisão dos gestos repetidos. Há sempre mais aquele bocadinho, agora. Aprendemos o valor disso. E isso não se perderá mais. Não falaremos mais disto. Será, se tudo correr bem, só um tempo passado. Mas ficará esse registo em nós. Das horas, longas a encontrar soluções. Dos dias em pausa, sem ouvir as conversas, sem falarmos em equipa, sem a dimensão de vida que um restaurante tem. Quando nos lembrarmos disso, mesmo que inconscientemente, saberemos que vamos sempre responder: mais um bocadinho. Deixa estar. Até estar perfeito. Seremos todos melhores cozinheiros, por isso.