À porta, um sorriso.

Um sorriso daqueles que faz lembrar que a gastronomia é feita de pessoas e que a restauração é feita para pessoas. Que não há restaurantes sem clientes e que os sorrisos ajudam a promover a repetição das experiências. Ainda por cima um sorriso de Amor, que é o nome próprio do anfitrião deste restaurante.

O Fialho é uma referência da comida no Alentejo e, por maioria de razão, uma referência na cozinha portuguesa. A gastronomia alentejana não tem par na cena nacional, é um mundo à parte. A sua genealogia provém de outras famílias que não são as do resto do país, são primas. Ao mesmo tempo, a comida alentejana é um mundo de todos nós, do nosso património culinário e uma casa assim faz-nos viver isto mesmo: um sentido de pertença gastronómica nacional.

Porque o Alentejo é mais do que cação de coentrada, açorda e “porco preto”, o Fialho oferece uma miríade de referências alentejanas que nem sempre são óbvias e que obrigam o comensal a sair do conforto das escolhas comuns quando se pisa o Alentejo.

Assim, passando pelas opções do porco, que no Alentejo é rei, destaca-se o borrego e a caça. Há um magnífico escabeche de perdiz, impar, que está na lista dos pratos de carne, mas que se recomenda pedir como entrada e partilhar! Assim como também se recomendam as empadas, as favas com presunto e uns ovos que codorniz com paio que têm tanto de simples como de saboroso! Depois pode vir o tal borrego, na forma de ensopado, assado ou grelhado. Finalmente, uma grande seleção da caça de que o Alentejo é tão profícuo: a perdiz, a lebre e o javali. Seja em receitas mais elaboradas como a do convento da cartuxa no caso da primeira, sejam os mais simples lombinhos grelhados com puré de maçã no caso do último. Toda esta oferta é complementada pelo que é proposto acompanhar as proteínas: os espargos selvagens, o pão para o ensopado ou para as sopas, ou as ameijoas no porco e no peixe. As despedidas podem ficar a cargo do tecolameco, mais uma proposta menos óbvia da doçaria conventual de origem alentejana.

Com um serviço tranquilo e simpático num espaço clássico e acolhedor, o sorriso do anfitrião à entrada e o do conviva à saída, o Fialho deixa a certeza que um dia há de se lá voltar!

Contactos:
Fialho

Morada: Travessa Mascarenhas, nº14
7000-557 Évora

Telef.: 266 703 079
Horário: Encerrado à segunda-feira.