A 50 Best Restaurants, que anualmente lista os melhores restaurantes do mundo, criou o movimento Bid for Recovery, com o fim de ajudar a indústria da restauração neste momento desafiante. Através de um leilão online, vai ser possível usufruir de experiências com alguns dos melhores chefes do mundo.

Entre 3 e 12 de julho, vai ser possível licitar mais de 100 experiências gastronómicas, doadas por chefes, restaurantes e bares de todo o mundo. Entre elas, inclui-se por exemplo, um dia com o chefe Mauro Colagreco, do Mirazur, em França — considerado o melhor restaurante do mundo para a The World’s 50 Best Restaurants em 2019 — que começa com uma visita aos jardins do restaurante e, depois, ao produtor de peixe que fornece o espaço. Segue-se um almoço na pizzaria Pecora Nera, também chefiada por Colagreco, uma visita guiada ao premiado restaurante onde se poderá provar pratos teste da cozinha e, por fim, um jantar no Mirazur. Quem ganhar esta licitação pode levar ainda para casa um par de vinhos, oferecido pelo chefe argentino. Experiências parecidas vão ser doadas igualmente pelos chefes Dominique Creen (Atelier Crenn, EUA), Virgilio Martínez (Central, Peru) e Ana Roš, (Hisa Franko, Eslovénia) que incluem provas de vinho, masterclasses, estadias em hotéis e visitas a monumentos dos respetivos países, sempre acompanhadas pelo chefe anfitrião. Além destas, outras experiências vão acontecer em países como Índia, Brasil, Inglaterra, Alemanha, Japão, México, Rússia, Singapura, só para dar alguns exemplos.

Todos os lucros do leilão serão distribuídos por restaurantes e bares na forma de subsídios diretos até 5.000 mil dólares (cerca de 4.425 mil euros) por estabelecimento. Qualquer espaço, de qualquer parte do mundo, pode-se candidatar a este fundo, que pode ser pedido já a partir de julho, desde que siga os critérios impostos pela organização, a serem anunciados em breve. Segundo garante a 50 Best, estes estão comprometidos a que os fundos sejam distribuídos a empresas lideradas por “indivíduos de diversos backgrounds”.

A 50 Best fará igualmente contribuições a organizações sem fins lucrativos que foram identificadas como tendo tido um papel ativo nos últimos meses face à crise que se iniciou na indústria. Alguma delas são Lee Initiative’s Restaurant Reboot Relief Program (EUA), Black Urban Growers (EUA), Nosso Prato (Brasil), The Eat Out Restaurant Relief Fund (África do Sul), The National Restaurant Association of India’s Feed the Needy campaign (Índia) e Chefs for Spain (Espanha).

Além disto, a organização vai juntar forças com a Social Gastronomy Movement, uma organização mundial de caridade, a fim de levar cerca de um milhão de refeições a quem mais precisa.

Por fim, será disponibilizado em formato online um livro original, de nome Home Comforts: simple lockdown recipes from the world’s best chefs and bartenders, no qual os interessados poderão adquirir, a partir de 1 de julho, através de uma donação mínima de 10 dólares (cerca de 8,85 euros).

Em setembro de 2020, a 50 Best planeia ainda a organização do evento online Recovery Summit, em que através de uma série de conversas e entrevistas pretende-se falar sobre como os restaurantes podem ultrapassar esta crise. Recorde-se que este ano não será divulgada a lista com os 100 melhores restaurantes do mundo — onde se inclui o português Belcanto de José Avillez, na posição 42. Em março, foi divulgado que a cerimónia de entrega de prémios deste ano seria adiada para 2021.

Por agora, as experiências já conhecidas para licitação podem ser consultadas aqui. Cinco dias antes do leilão começar, a 29 de junho, vai ser possível conhecer a lista na íntegra no site oficial da iniciativa aqui.