Bruno Caseiro com Christopher Morell em Lisboa

O chefe Bruno Caseiro, outrora um braço importante na estrutura de Nuno Mendes, em Londres, nos seus restaurantes Viajante, Chiltern Firehouse e, mais recentemente, Taberna do Mercado, está de volta a Portugal. Em junho, prepara-se para abrir um restaurante pop-up, na Comporta, e um novo espaço, em Lisboa.

Mas vamos por partes. Actualmente, Bruno divide-se entre a sua posição de sub-chefe no Ours, na capital londrina, e os novos projectos. O português mostra-se confiante no seu futuro em Lisboa. A vontade de regressar já era antiga. Afinal, nos últimos quatro anos, e depois do curso na Escola de Hotelaria, decidiu apostar numa aventura internacional em Londres e depois no Brasil, no DOM – onde passou uma temporada. Antes disso, enquanto estudante, passou pelas cozinhas do Sea Me e Belcanto, em Lisboa. Com ele, traz a namorada e pasteleira, Filipa Gonçalves.

A Cavalariça, na Comporta, será a sua primeira paragem. Durante três meses, entre junho e agosto, o chefe de 33 anos vai tomar as rédeas do antigo estábulo e transformá-lo num espaço à sua medida. O conceito não é novo. Christopher Morell, o proprietário do restaurante, há quatro anos que convida chefes para dar vida ao seu espaço durante uma temporada.

O conceito será o de partilha, por isso, podemos esperar pratos de comida leve, de verão, entre travessas de marisco e peixe. Segundo as palavras de Caseiro, a intenção é fugir aos espaços convencionais à volta. Ser apenas mais um, é algo que não quer ser. “Vamos dar um aspecto internacional ao pratos, como se estivesse localizado em Londres ou Paris”.

O menu ainda se encontra em fase de criação. A ideia é que 50% do que já está definido se mantenha até ao fim projecto. É claro que depois haverá lugar para algumas mudanças, consoante a sazonalidade de cada produto.

Dentro do local, haverá ainda espaço para um bar que vai funcionar a partir das 17h, com carta de cocktails e outras bebidas, juntamente com alguns snacks.

Até ao final do verão, Bruno Caseiro já terá definido em concreto aquilo que quer imprimir no novo restaurante que pretende abrir em 2018, em Lisboa, com Christopher Morell.

Inicialmente, o conceito foi pensado para ficar em Londres mas o facto da capital portuguesa estar a crescer, justificou a mudança. “Nunca se viu tantas notícias sobre Lisboa como agora. Os britânicos estão cada vez mais curiosos com a cidade”, refere.

Na mente, bem guardada, tem a ideia da cozinha que quer aplicar. Apenas promete um conceito diferente, resultado das suas experiências, e com um grande foco na carta de bebidas. O cozinheiro espera acrescentar ao panorama português o seu contributo – factor importante, reservado aos jovens chefes, para ajudar “o país e a gastronomia a crescerem”.

Por |2017-04-19T17:18:01+00:0014:16, 18/04/2017|

Partilhar com um amigo