O restaurante Elemento, no Porto, do chefe Ricardo Dias Ferreira, inaugurado em fevereiro de 2019, reabre as suas portas a 17 de junho, com novidades no menu e com horário reduzido até ao final do mês.

Em 2019, após uma vasta experiência em Espanha e na Austrália, o chefe Ricardo Dias Ferreira regressou à cidade Invicta com a abertura do seu primeiro restaurante, Elemento, onde pratica uma cozinha a fogo, com pratos confecionados unicamente com recurso a lenha, caruma e brasa.

O encerramento do restaurante devido ao novo coronavírus, após pouco mais de um ano desde a sua abertura, aconteceu numa altura em que o Elemento corria “super bem”, o que facilitou a criação de um fundo de maneio para “imprevistos no futuro”. “A crise sanitária não estava prevista por isso bateu forte a todos, independentemente do tipo de negócio”, começa por explicar o chefe e proprietário, acrescentando que a principal lição a tirar desta crise é que “mais importante do que teres criatividade, é teres conhecimento de gestão económica pois esta representa 80% de todo o negócio”.

O menu de degustação Invicta, com nove momentos, continuará disponível na reabertura, com um complemento de harmonização de vinhos de origem nacional, bem como, a opção à la carte. “Vamos manter a nossa linha e filosofia de usar o que está disponível no dia que assim nos dá mais espaço de criatividade. Também vamos continuar a utilizar produtos menos conhecidos do público, apostando na sustentabilidade”, afirma Ricardo.

Em termos de espaço, o balcão — onde é possível ver tudo o que passa na cozinha — foi reduzido de 12 a seis lugares, com acrílicos a servir de divisão. O proprietário explica que como o restaurante tem um comprimento considerável, as mesas ficam afastadas com um distanciamento de 2.20metros o que, ainda assim, faz com o que espaço total passe de 48 lugares para 40.

Na reabertura, o proprietário acredita que, acima de tudo, é importante manter a essência do restaurante e esperar por melhores tempos. “Cada vez vemos mais pessoas a tentarem ter uma vida normal — o que é um ótimo sinal. Em termos de turismo creio que vai ser mais seletivo mas com sinais de recuperação a partir de fins de julho e no mês de agosto. No entanto, poderá durar dois a três anos até termos números iguais ou semelhantes aos de 2019.”

Até ao final do mês, o restaurante vai estar aberto apenas para jantares, de quarta-feira a sábado. Para mais informações sobre o restaurante ou reservas clique aqui.