Fifty Seconds Martín Berasategui. O que esperar deste projeto?

Fifty Seconds Martín Berasategui abre já no dia 6 de novembro e é o 16.º restaurante do chefe basco e o seu primeiro em Portugal. É no topo da antiga Torre Vasco da Gama, no Myriad by Sana Hotels, em Lisboa que os portugueses vão poder provar a cozinha do renomado chefe, que terá ao seu lado, o português Filipe Carvalho. O ETASTE falou com ele para saber mais.

É um restaurante que segue a linha do Lasarte

Quem o diz é Filipe Carvalho, que antes de abraçar o novo projeto, era subchefe no restaurante de Berasategui, em Barcelona, que tem três estrelas Michelin. O cunho fine dining está por isso bastante presente neste desafio. O português garante que vai privilegiar os produtos de temporada e todos aqueles que possa encontrar em território nacional — a não ser algumas exceções, como “a trufa ou o caviar, por exemplo, que vamos ter de ir buscar lá fora” — nos dois menus de degustação fixos e na oferta à la carte que vai contar com alguns clássicos de Berasategui e outros, pensados em conjunto com o chefe basco.

Tem 50 segundos para aproveitar a vista para o Tejo

O nome do espaço deve-se ao tempo exacto que o elevador do hotel demora a ascender ao topo da Torre, onde vai estar localizado o restaurante, que tem lugar para 35 comensais. E por falar nisso, as reservas para o Fifty Seconds Martín Berasategui já se encontram disponíveis através do telefone 211 525 380 ou e-mail info@fiftyseconds.pt.

A equipa é (quase) toda portuguesa

Filipe Carvalho, Maria João Gonçalves, Marc Pinto e Inácio Loureiro são alguns dos nomes que vão trabalhar na equipa do Fifty Seconds Martín Berasategui. Os primeiros três, inclusive, fazem parte do grupo de restaurantes do espanhol há vários anos. Antes da experiência internacional, Filipe trabalhou com António Boía no Rio’s, João Rodrigues no Feitoria, Vincent Farges na Fortaleza do Guincho e com Dieter Koschina no Vila Joya. A juntar ao Belcanto de Avillez, foi também nestes três últimos que a responsável de pastelaria, Maria João Gonçalves, somou experiências. Em 2015, ambos aceitaram o convite para integrar o Lasarte. Os outros dois nomes estão ligados à sala e ao vinho. Marc começou a carreira na cadeia Ritz Carlton e logo chegou à equipa do chefe espanhol. É um regresso a Portugal, depois de seis anos fora. Já Inácio Loureiro, chefe de sala, esteve quase uma década ao serviço da Fortaleza do Guincho e é alguém que Filipe admira bastante. “Conheci-o no Guincho, quando ainda era commis. É um orgulho tê-lo agora comigo neste novo desafio”, comenta.

É o 16.º restaurante do espanhol e o primeiro em Portugal

Espanha, México e República Dominicana são os países onde o chefe basco tem espalhados os 15 restaurantes a que está de alguma forma ligado. O chefe de 32 anos garante que por cá, Berasategui tem a ambição de ter um espaço “ao mesmo nível e com a mesma exigência” de todos aqueles a que empresta o nome.​

Berasategui tem 8 estrelas Michelin. Mas e em Portugal?

É, de facto, um número invejável. O chefe de 58 anos tem três restaurantes premiados pelo guia: o seu espaço homónimo (Lasarte-Oria, perto de San Sebastián), o Lasarte (em Barcelona) e ainda o MB (em Tenerife). São oito estrelas no total: três para os primeiros dois e duas para o terceiro. Mas será que no restaurante em Lisboa há essa ambição? “Ainda é cedo para falar de estrelas. Queremos ser consistentes e focarmo-nos em trabalhar para o cliente”, remata à defesa Filipe. Resta esperar para ver.

 

*Artigo originalmente publicado a 16 de maio de 2018. Atualizado a 31 de outubro de 2018.

Por |2018-11-12T16:24:31+00:0011:40, 31/10/2018|

Partilhar com um amigo