Dias 19 e 20 de novembro, em parceria com o Basque Culinary Center, a plataforma FRUTO (criada pelo chefe Alex Atala e o produtor cultural Felipe Ribenboim) que tem como compromisso “a mobilização de projetos, pessoas e organizações e empresas interessadas em solucionar os grandes desafios da produção de alimentos bons, justos e limpos” — realiza um congresso online sobre os temas da gastronomia e da sustentabilidade.

O programa da 3.ª edição do evento Fruto – Diálogos do Alimento contará com diversas intervenções de especialistas, bem como a realização de workshops, e abordará temas sempre ligados à sustentabilidade, nas áreas da economia circular, biodiversidade, utilização eficiente de recursos, food design, consumo, organização social, hortas e hortas urbanas, cozinha sem desperdício, cozinha de combate, ativismo e políticas públicas, só para dar alguns exemplos.

“Este evento foca-se na geração atual, mas sobretudo nas novas gerações – de cozinheiros e agentes de todo o sistema alimentar, destacando o valor do alimento nas relações humanas, de uma perspetiva interdisciplinar e do ponto de vista ambiental, cultural, social, político e de saúde. No fundo, afirmando a gastronomia como uma importante ferramenta de transformação”, refere Felipe Ribenboim, cocriador do FRUTO. Já Alex Atala, chefe do D.O.M, em São Paulo, acredita ser cada vez mais “urgente que adotemos ações sustentáveis e que entendamos que os alimentos são fonte de saúde, mas também de conhecimento, história e cultura. Envolver e dar voz às novas gerações é fundamental”.

Além de Atala, fazem parte da lista de oradores nomes como Douglas McMaster (Silo, Inglaterra), Matt Orlando (Amass, Dinamarca), Tracy Chang (Pagu, EUA), Selassie Atadika (Midunu, Gana), Oliver Holt (Kitchen Farming Project, EUA) e Jaime Rodríguez (projecto Caribe, Colômbia). Além de outros profissionais de outras áreas, casos do etno-botânico Miles Irvin (Inglaterra), da ativista Chido Govera (Zimbabué), da designer Elsa Yranzo (Espanha), da arquiteta Carolyn Steel (Inglaterra). da ambientalista Camille Etienne, entre outros.

Portugal estará representado com a presença do projeto de agricultura urbana biológica Terras de Cascais — que tem como objetivo incentivar e criar as condições para a produção biológica em hortas municipais, comunitárias e privadas. Luís Almeida Capão, presidente do Conselho de Administração da empresa municipal Cascais Ambiente, fará uma intervenção no painel “O Alimento como força transformadora: hortas urbanas, cidadãos e produtos locais” onde abordará a estratégia de Cascais em pontos como a gestão da estrutura ecológica, a adaptação às alterações climáticas e a agricultura urbana biológica.

Resta dizer que as inscrições no evento podem ser feitas aqui. A transmissão ao vivo será traduzida simultaneamente em três línguas (inglês, espanhol e português) através do Zoom e Youtube (nesta última plataforma, a transmissão será apenas no idioma original).