Pedro Braga sonhou e o Mito nasceu

O dicionário de língua portuguesa identifica a palavra mito como uma “personagem, facto ou particularidade não real; coisa ou pessoa que não existe”. Este poderia bem ser o significado do novo restaurante de Pedro Braga, no Porto, mas não o é. Na verdade, mito é o nome do grupo de amigos próximos do chefe, que à semelhança do restaurante, vive também da partilha à mesa.

A ideia de abrir um espaço próprio vem desde a altura em que decidiu ser cozinheiro. O ano passado, Pedro Braga tinha acabado de sair da steakhouse Tenra, no Porto e decidiu que aquele era o momento ideal de iniciar um projeto seu. “Afinal o Porto está em mudança, a crescer. Era a altura”. Pedro está desde cedo ligado ao mundo da hotelaria. Aos 15 anos começou a trabalhar num café de um familiar. A hotelaria foi um caminho natural, por isso, seguiram-se experiências enquanto profissional de sala na Herdade da Malhadinha Nova, em Beja, e mais tarde, já ao comando dos tachos, no restaurante Miga’s, em Sines. Antes de voltar para o Porto, rumou até Londres para um curso de cozinha no Le Cordon Bleu. Por lá somou uns meses de aprendizagem no Koffmann’s. Já na Invicta, ao lado de Pedro Lemos, passa pelo restaurante homónimo do chefe e, mais tarde, é parte da sua equipa no Clérigos. Antes de se aventurar junto das carnes, no Tenra, chefiou ainda o Reitoria.

Com o nome definido, nos meses seguintes, o cozinheiro de 34 anos, dedicou-se a encontrar um espaço e a idealizar um conceito. Ali perto da baixa da cidade encontrou o sítio, o sonho começa e o Mito nasceu. “O nosso grande objetivo é que o cliente descontraia na nossa companhia”. A decoração minimalista, em tons neutros também faz parte dessa ideia de “dar um toque urbano ao espaço”. O bartender Dimitri Hospodarysko é o responsável pelo bar do espaço e apresenta na carta de bebidas mais de dez cocktails de autor e ainda mais de 30 referências de vinhos portugueses.

Em contraste com o espaço estão as loiças e os pratos coloridos “simples e de poucos elementos”. Segundo palavras do chefe, aqui não existe obrigatoriedade de cozinha portuguesa. As criações de Pedro são representações de inspirações e influências das cozinhas do mundo. Vejam-se as opções na grelha, de tutano ou costeletão maturado, vindos diretamente de um talhante de confiança em Matosinhos. “Estou muito ligado às carnes, daí termos também uma tábua de charcutaria com grande variedade de produtos de Portugal, Itália e Espanha”. Assim como outras opções, como o tártaro de alcatra, o bao de polvo ou as asas de frango tandoori.

Para já, o restaurante apenas está aberto ao jantar. Num futuro próximo, estará também ao almoço e a carta terá mais variedade, confirma o chefe.

Contactos:

Mito
Morada: Rua José Falcão, 183, Porto

Tlf: 917 509 955

Aberto de terça a quinta, das 18h30 às 23h. De sexta a sábado das 18h30 à 1h.

Por |2017-07-30T15:30:48+00:0015:25, 27/07/2017|

Partilhar com um amigo