Paulo Russell-Pinto fala-nos da casta Avesso e da sua evolução no mundo dos vinhos. No fim, apresenta ainda alguns rótulos disponíveis no mercado.

Há já alguns anos, talvez duas décadas, que os Vinhos Verdes vêm a fazer o trabalho de diferenciação da banalização do vinho leve e gasoso a que estavam sujeitos. Os produtores conseguiram valorizar castas e blends de variedades locais e a começaram a comunicá-los nos rótulos com muito mais eficácia. Para além do eterno Alvarinho como elemento diferenciador no Vinho Verde, o aparecimento do Loureiro, do Arinto ou do Azal na comercialização e comunicação coincidiu com o gosto de um consumidor mais exigente a ávido de novidades. O “estigma” da obrigatoriedade do gás e do vinho leve parece cada vez mais longe desta região. Aliás, no que respeita a diferenciação nos Vinhos Verdes, esta parece estar a fazer-se por vários caminhos. Um deles, sobre o qual já escrevi aqui é o dos vinhos Verdes Tintos.

Um outro caminho pode ser o da vinificação da casta Avesso sozinha, em “extreme”. Há cada vez mais marcas no mercado que apresentam o monocasta Avesso como um exemplo muito interessante para o seu portfólio de produtos. Esta uva parece gostar de regiões montanhosas, de solos mais pobres e secos e ter algum sol para que esteja menos sujeita a doenças. Daí ser uma casta que, tradicionalmente, tem expressão em Baião, Cinfães e Resende, mas que mais recentemente se encontra nas zonas de Marco de Canavezes e Basto com bons exemplos, como se verá mais abaixo nos vinhos provados.

Avesso, o nome da casta, é logo uma curiosidade, pois o termo popular significa que se “é estranho” a alguma coisa. À doença, a grandes produções, ao tipo de solo mais rico de algumas regiões do noroeste português. Produz, hoje em dia, vinhos com grande expressão aromática e corpo, podem atingir um grau alcoólico razoável que os torna mais robustos no palato, e demonstram potencial de envelhecimento, algo que parecia vedado aos Verdes e a algumas mentalidades mais conservadoras.

Vejamos alguns exemplos de Avessos presentes no mercado:

Quinta da Raza Avesso 2018 – Produzido na região de Basto, apresentou-se ainda fechado (algo normal no desenvolvimento desta casta em garrafa) e denso, mineral, com a presença de ervas aromáticas como o poejo e citrinos como a tangerina. O final revelou-se fresco e seco.

Casa de Santa Eulália Avesso 2018 – Também produzido na região de Basto, prevalece a fruta de árvore, como pera e pêssego. Na boca em uma acidez muito presente e o seu final e intenso e persistente. Melhorará com o tempo.

Monólogo Avesso p67 2017 – De Baião, é um vinho apaixonante no nariz, intenso, fresco, elegante, com corpo presente e aromas florais de flor de laranjeira e cítrico onde de destaca a lima e um final de erva-doce na boca. Complexo e robusto.

Lavandeira Avesso 2018 – Outro bom exemplo de Baião, este Avesso é uma expressão da renovada abordagem desta quinta ao mercado dos vinhos verdes. Fresco e intenso, apresenta aromas de fruta de árvore como peras e maçãs vermelhas, com um final cítrico e prolongado, a adivinhar longevidade.

Covela, Edição Nacional reserva 2018 – Original da quinta com o mesmo nome em Baião, mostrou-se intenso, cremoso e a revelar um equilíbrio elegante com o estágio em madeira. Apresentou aromas de manteiga fresca, citrinos de laranja e toranja e ervas aromáticas de onde se destaca o funcho.

Opção B 2017 – Produzido pela AB wines, este Avesso com estágio em Barrica revela-se encorpado e complexo no aroma, onde prevalecem flores brancas, um lado tropical onde desponta o ananás e outro lado de fruta de pomar, com pera madura. A madeira marca a sua presença de forma elegante e o final é prolongado e fresco.

Paço de Teixeiró Avesso 2002 – Incluído nesta prova para demonstrar o potencial de envelhecimento da casta. 17 anos de vinho em garrafa não é para todos! Mantém um aroma intenso e a fruta deu lugar a aromas complexos de pão torrado, tostas, laranja confitada, chocolate de leite e um toque elegante de queijo azul. Tem um final elegante e será um bom vinho gastronómico. Ainda bem que está no mercado.