O Red Frog, em Lisboa, é uma das novas entradas da The World’s 50 Best Bars e o primeiro bar português a marcar presença na lista. O espaço de Paulo Gomes e Emanuel Minêz conquistou a 92.ª posição. Esta era já uma ambição conhecida pelos proprietários, que desde a abertura do bar, em 2015, admitiam querer entrar na lista nos três anos seguintes.

Em janeiro, Paulo Gomes, em entrevista ao ETASTE mostrava-se confiante na distinção. Na altura disse: “Sabemos que estamos perto dos 100. Temos a sorte de haver muitos portugueses pelo mundo e amigos internacionais importantes que votam em nós. Mas ainda temos um trabalho árduo pela frente”.

Até agora apenas foi divulgada a segunda parte da lista, do número 51 ao 100. Fifty Mills, na Cidade do México, Paradiso, em Barcelona e Copperbay, em Paris são outros dos bares que se estreiam na The World’s 50 Best. No dia 5 de outubro, numa cerimónia a ter lugar na Southwark Cathedral, em Londres, o mundo vai conhecer a primeira parte. O ano passado The Dead Rabbit, em Nova Iorque foi o grande vencedor, seguido dos espaços American Bar e Dandelyan, ambos situados em Londres.

Além do prémio de melhor bar do mundo, serão ainda entregues mais oito galardões, incluindo o de ‘Bartenders Bartender’, ‘Industry Icon’ e ‘One to Watch’.

A The World’s 50 Best Bars é uma lista anual em que são eleitos os 100 melhores bares do mundo, e que conta com a votação de mais de 500 especialistas na área. É um evento organizado pelo grupo William Reed Business Media, empresa por trás também do The World’s 50 Best Restaurants.