Nuno Mendes, um dos chefes portugueses mais conhecidos em Londres, conquistou para o seu mais recente projeto Mãos, na capital londrina, uma estrela Michelin. Esta é a segunda vez que um espaço gastronómico de sua autoria é reconhecido pelo guia — a primeira aconteceu em 2011, com o Viajante.

A semana passada, conversávamos de forma bastante informal, no Congresso dos Cozinheiros (que aconteceu dias 29 e 30 no LX Factory) sobre a sua mais recente aventura em Lisboa: a chefia do renovado Bairro Alto Hotel. Hoje, Nuno Mendes está em Londres e conta com mais um restaurante da sua autoria com estrela Michelin. É que o chefe português, radicado em Londres há mais de uma década, viu ontem, dia 7 de outubro, o nome do Mãos, juntar-se ao guia vermelho, numa cerimónia que decorreu em Fulham, no sudoeste da capital inglesa.

Mãos — aberto no início de 2018 e da responsabilidade de Nuno Mendes e James Brown — é um espaço inserido na Blue Mountain School, um projeto que acolhe várias artes, entre elas a gastronomia. O restaurante, que é uma autêntica sala de jantar com uma única mesa, tem como chefe de cozinha residente Edoardo Pellicano e serve um menu de degustação.

Recorde-se que esta não é a primeira vez que um restaurante de Nuno Mendes em Londres é distinguido. Em 2011, o Viajante recebeu uma estrela Michelin. No entanto, o chefe viria a sair do projeto três anos depois para abraçar o desafio do Chiltern Firehouse — que mantém até hoje. Além deste, Mendes também foi responsável pelo Bacchus, The Loft e Taberna do Mercado, de onde saiu António Galapito para abrir o Prado, em Lisboa.