Há no Paparico uma fusão entre inquietação e serenidade que se sente e que é fácil de explicar. Assenta em três pilares genuinamente portugueses e eleva a experiência gastronómica a um momento emocional e criativo. Estes pilares são o ambiente rústico-chic das salas, a meia luz, pormenores de ferro forjado e paredes de granito decoradas com memórias rurais tão típicas do nosso país, o serviço, simpático e generoso, muito atencioso e organizado e a comida, preocupada em transmitir sabores intensos e delicados.

A receção, feita à porta fechada e em direção ao bar para refresco com água aromatizada ou um cocktail, permite criar o corte com o ambiente externo e trazer o cliente para um mundo próprio e para uma refeição singular. Uns minutos de relaxamento e integração nesse outro mundo, exclusivo, durante umas horas enquanto decorre o jantar.

A degustação “Portugalidade”, associada ao serviço de vinhos, também portugueses, é a expressão da tal inquietação. Há uma procura por paladares ricos e genuínos, que não comprometam nem o sabor nem a origem das receitas ou das propostas. E que bem consegue!

Por esta viagem nacional cruzamo-nos com uma ostra delicada do Alvor, com salicórnia e molho verde, um crocante de bacalhau à Brás cremoso, um salmonete à setubalense com o molho dos seus fígados, uma vaca velha do Minho em vários sabores (várias peças do mesmo animal) e uma pastelaria imaculada com a amêndoa transmontana em vários sabores, texturas e temperaturas, entre outras coisas intensas e saborosas.

Há depois uma preocupação extrema, expressão dessa inquietação e serenidade, na harmonia dos vinhos com os pratos da degustação. A inquietação de trazer ao comensal variedade e surpresa, associada a um serviço tranquilo e dinâmico. Afinal, o Paparico é assim do princípio ao fim!

Adaptando o poema do célebre poeta, “quem está no Paparico, está só no Paparico”.

Contactos:

O Paparico

Morada: Rua de Costa Cabral 2343
4200 Porto

Tlf.: 225 400 548

Aberto de terça-feira a sábado, das 19h30 às 23h.