Já são conhecidos os grandes vencedores da 5.ª edição dos prémios ‘Flavors & Senses – Os Melhores Para 2017’. A iniciativa dos autores do blogue, João e Cíntia Oliveira, teve início em 2011 e, desde aí, que premeia os projetos e profissionais da gastronomia a norte do país. Este ano, os holofotes viraram-se para o jovem chefe Vasco Coelho Santos, para o empresário Sérgio Cambas e para o duplamente estrelado, Ricardo Costa.

Passava pouco das 19h quando teve início, nas Caves da Cockburn’s, em Vila Nova de Gaia, a cerimónia da entrega de prémios que contou com a presença de mais de 200 pessoas do setor, em especial do norte do país. Em clima intimista, que uma cave de vinhos proporciona, é tempo de anunciar quem mais se destacou ao longo do último ano. João e Cintia Oliveira dão voz ao microfone e vão passo a passo, apresentado os nomeados e respetivos vencedores.

Este ano, a novidade foi para as três novas categorias, que pretendem “alargar o espetro de restaurantes na região”. Assim foi anunciado o primeiro prémio de ‘Restaurante do Minho’, cuja distinção foi atribuída ao Ferrugem, de Renato Cunha, em Famalicão. Seguiu-se O Solar Brangançano, em Bragança, eleito o ‘Restaurante Trás-Os-Montes’ e o ‘Restaurante Beiras’  atribuído ao Rei dos Leitões, na Mealhada.

Com o intuito de premiar não só a cozinha, os autores do blogue criaram as categorias ‘Serviço de Vinhos by Riedel’, onde a escolha levou parte da equipa de seis sommeliers do The Yeatman ao palco e, ‘Serviço de Sala’, em que, pela segunda vez consecutiva foi atribuída ao restaurante O Paparico, de Sérgio Cambas. Este foi também, uma vez mais, eleito ‘Empresário do Ano’ que orgulhoso dedicou o título ao seu pai e ídolo, Manuel Cambas.

Na categoria ‘Restaurante Especializado’, cujo intuito é distinguir um determinado tipo de cozinha (em que se trabalhe, por exemplo, um produto específico), o Ichiban foi o grande vencedor.

Com pouco mais de seis meses de existência o Euskalduna, foi anunciado em grande euforia como o ‘Restaurante de Autor’ favorito, assim como, o ‘Restaurante Revelação by Quinta do Ataíde’. Esta noite, o chefe Vasco Coelho Santos leva para casa também a distinção de ‘Chef a Seguir’. “Não estava a espera de levar 40% dos votos. Fico contente por isto e pelo Porto estar a mudar”, diz Vasco. Ainda no alto de Vila Nova de Gaia, o The Yeatman é premiado com o título de ‘Restaurante do Ano’ e o seu líder, Ricardo Costa, o de ‘Chef do Ano’.

António Coelho, ganhou o momento de destaque da noite com a atribuição do novo ‘Prémio Mérito e Excelência’, que pretende homenagear a figura que nos últimos anos marcou a cultura gastronómica da região. Pela segunda vez consecutiva, o seu Adega São Nicolau foi eleito o melhor ‘Restaurante Tradicional’. “Nunca pensei chegar a este patamar. Na cozinha sou como um tocador de guitarra”.

Na categoria ‘Restaurante Especializado’, cujo intuito é distinguir um determinado tipo de cozinha (em que se trabalhe, por exemplo, um produto específico), o Ichiban foi o grande vencedor. Quanto à corrida do espaço mais concorrido da cidade, o Puro 4050, de Luís Américo, foi eleito o ‘Restaurante Trendy’ da noite. A contemporânea Esquina do Avesso, de Nuno Castro, foi vencedora da categoria ‘Restaurante de Petiscos’ pela sua irreverência na carta.

Para finalizar a noite, como já é habitual, a categoria ‘Loja Gastronómica’ foi conquistada pelo Club del Gourmet do El Corte Inglés Gaia/Porto, que mantém o prémio desde da primeira edição.