Nuno Diniz

- Nuno Diniz

Chefe de Cozinha e formador na Escola de Hotelaria de Lisboa

Retalhos

Um destes dias, lânguidos, flutuantes, de mar chão, e vento Suão, dei comigo a pensar que, talvez, por vezes, raramente, adjective demais. E fiquei sentido. Fiquei mesmo enfadado, crispado, zangado.

Por |2019-10-16T11:07:01+01:0016:46, 14/02/2018|

O amor (mas porquê?)

O amor... De onde vem, por onde andou, para onde vai, quanto tempo dura? É química? Espiritualidade? Física? Religião? Impulso? Memória desfocada?

Por |2019-10-16T11:09:16+01:0011:12, 23/10/2017|

Gosto de cá estar!

Mas o mundo tem pessoas. E as pessoas têm obsessões. Crenças. Preconceitos. Lados díspares. Espelhos que confundem compaixão com vingança. Os que têm tudo, detestam os que não têm nada. Por medo, incómodo, nojo. Os que nada têm, abominam os que tudo têm.

Por |2019-10-16T11:10:01+01:0018:19, 06/07/2017|

Ter tempo

Quando eu era pequeno, o tempo durava mais tempo. Era excessivo, cansativo, permanente. Eram as férias que nunca mais acabavam, as aulas que nunca mais começavam, as mesmas aulas que nunca mais terminavam.

Por |2019-10-16T11:13:00+01:0011:15, 10/05/2017|