#resistir Nuno Diniz: O chão

Apesar da vontade de poder estar com os meus cozinheiros no Revolução, e da recordação do prazer oferecido pelas guitarras e teclados que ficaram em Lisboa, tenho, aqui para estes lados onde a noite é apenas eventualmente iluminada pela lua e pelas estrelas e, de quando em vez, embalada por sons que raramente identifico, tenho aqui, dizia, momentos inesperados, excitação, novidade e cultura que chegam para me manter interessado, durante pelo menos mais sessenta anos.

Por |2020-05-04T10:52:42+01:0015:53, 27/04/2020|

#resistir Armando Fernandes: Comeres que Abril abriu

Estão por estudar as alteridades culinárias e gastronómicas surgidas e introduzidas nos hábitos alimentares dos portugueses em consequência da instauração da democracia em Portugal no dia 25 de Abril de 1974. doçaria industrial e a derrota das doçarias de cunho local, regional, conventual e monacal?

Por |2020-05-05T12:20:09+01:0012:15, 25/04/2020|

#resistir Armando Fernandes: Comida Rápida

Estaremos (acho que estamos) a caminhar para a uniformização do gosto, o triunfo do fácil, do envernizamento das insuficiências, o luzimento do «gato por lebre», da banalidade do cachorro quente, da sandocha aviltante da sanduíche, do suculento bife a favor do hambúrguer, da vitória total da doçaria industrial e a derrota das doçarias de cunho local, regional, conventual e monacal?

Por |2020-05-04T10:51:49+01:0014:55, 21/04/2020|

#resistir Bruno Azevedo: Lutar, fugir ou ficar parado

Como líderes e donos de negócio, somos chamados a tomar decisões. A crise gerada pelo COVID-19 é um inimigo amorfo que requere uma avaliação pessoal da forma como fazemos tudo. Eu acredito que a partir de agora um dos princípios que irá ser a base da nossa atuação será algo dentro da ideia de que “Todo o nosso modelo de gestão está aberto a mudanças”.

Por |2020-04-25T19:25:41+01:0016:05, 20/04/2020|

#resistir Óscar Correia: Carta a um amigo

Temos que simplificar, estar na linha da frente e entender a retoma, medir e tomar boas decisões que valorizem os nossos clientes, que acrescentem valor, para que façam parte da nossa história e nunca tires os olhos do fluxo de caixa, porque é a alma dos negócios.

Por |2020-04-16T17:32:18+01:0011:06, 16/04/2020|

#resistir Daniel Azevedo: Take-away e delivery em tempos de pandemia (e não só!)

É por isso expectável que a retoma da atividade do setor da restauração em Portugal se faça de forma muito lenta, mantendo a pressão na sustentabilidade dos negócios de restauração, razão pela qual a decisão de desenvolver os canais de take-away e/ou delivery não se esgota enquanto resposta imediata à pandemia, mas sobretudo como um novo paradigma de negócio, fundamental aos novos tempos que se avizinham.

Por |2020-04-16T11:07:16+01:0015:55, 15/04/2020|

#resistir João Sá: O “jantar fino” não pode morrer

A minha reflexão recai sobre o “fine dining” em Portugal. Não poderemos perder este sector da restauração que, quer queiramos quer não, é um motor de arranque para muitos cozinheiros irem beber da técnica e do modus operandi destes locais e, posteriormente, adoptar estes sistemas em outros restaurantes mais casuais.

Por |2020-04-15T15:56:21+01:0012:25, 15/04/2020|

#resistir Nuno Diniz: Andando

Diariamente as tarefas são muitas: ler e pensar, reflectir e ver, mas também cozinhar, apanhar lenha caída (para a lareira), lavar roupa à mão, ajudar na limpeza da casa, ter a oportunidade única de fazer companhia à mãe, ir aprender a tratar da terra (agora a ser enriquecida com o estrume de um ano), contactar a família, manter interessados os cozinheiros que estão isolados e espalhados pelo país.

Por |2020-05-04T10:52:25+01:0016:22, 13/04/2020|

#resistir Armando Fernandes: O folar

O folar comia-se enquanto existia, a sós ou em companhia de carnes mimosas (cordeiro, cabrito e vitela). A bebida preferida era o vinho. Sobretudo vinho. Para jejum chegava a finda quarentena quaresmal.

Por |2020-04-13T13:22:16+01:0010:00, 12/04/2020|